Anos 20

No ano de 1924, ainda desconhecido,  Salvador Dalí ilustra pela primeira vez um livro, o poema catalão “Les bruixes de Llers” ( “As bruxas de Llers”) de seu amigo, o poeta Carles Fages de Climent.

Nesse mesmo ano faz a sua primeira viagem a Paris, onde encontrou-se com Pablo Picasso, que era “adorado” pelo jovem Dalí.

               – “Vim vê-lo antes de ir ao Louvre”, disse-lhe Dalí.

               – “Fez você muito bem”, respondeu-lhe Picasso

O artista mais velho já teria ouvido falar bem de Dalí, palavras cedidas por Juan Miró. Nos anos seguintes, realizou trabalhos visivelmente influenciados por Picasso e Miró, simultanêamente, ia desenvolvendo o seu estilo próprio. Algumas tendências no trabalho de Dalí que permaneceram ao longo de toda a sua carreira, já se evidenciavam na década de 20 (Raphael, Bronzino, Francisco de Zurbarán, Vermeer, e Velázquez)

 As exposições de seus trabalhos em Barcelona despertaram atenção e também uma mistura de elogios e debates. Foi nesta época que Dalí deixou crescer o bigode, que se tornou emblemático a ele, estilo baseado no pintor espanhol Diego Velázquez (século XVII).

Salvador Dalí foi expulso da Academia, no ano de em 1926, pouco tempo após os exames finais, onde afirmou que ninguém na Academia tinha competências suficientes para o avaliar. O seu domínio de competências na pintura, nessa altura, está comprovado na pintura em “Ana Maria costurando” desse mesmo ano.

Em 1929, colaborou com o cineasta espanhol Luis Buñuel no curta-metragem Un Chien Andalou, e conheceu, em agosto, a sua musa e futura mulher, Gala Éluard (cujo nome verdadeiro é Elena Ivanovna Diakonova, nascida em 7 de Setembro de 1894, em Kazan, Tartária, Rússia), uma imigrante russa dez anos mais velha que Dalí, casada na época com o poeta surrealista Paul Éluard. Juntou-se oficialmente ao grupo surrealista no bairro parisiense de Montparnasse (embora o seu trabalho já estivesse há dois anos a ser influenciado pelo surrealismo).

Entre 1928 e 1930, cooperor com Buñuel nos seguintes filmes:

Em 1929, são expostos os primeiros quadros surrealistas, onde são “pintadas” influências de De Chirico. É revelada a sua maior caracteristica, enquanto pintor, o cruzamento do real com o irreal, que se tornara frequente nos seus trabalhos. Neste ano, elaborou,ainda, um método que denominou de “crítico-paranóico” (implicava o recurso ao inconsciente, na interpretação livre de “associações delirantes”). Tinha uma técnica magistral, moldada por uma imaginação desenvolvia por textos de Sigmund Freud.

~ por dalixx em 25 de Abril de 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: